Up Mind | O MOTIVO

regis-deiques-up-mind-motivo

A palavra MOTIVO designa um traço de personalidade relativamente estável que determina quão importantes são para a pessoa determinados objetivos.

É uma disposição da personalidade voltada a dar valor a uma ação.

Define uma disposição momentânea de um individuo para agir.

E veja bem, esta disposição é variável. E Porque ela é variável?

Porque a maioria das pessoas ainda não sabe o que realmente querem.

Muitas pessoas ainda não descobriram o que vieram fazer no mundo. Elas ainda não descobriram o propósito de sua vida. Uma coisa é certa, se você tem emoções, você tem um propósito.

É por isso que o motivo tem um significado próprio.

Com o passar do tempo, nós, seres humanos intensificamos a dependência dos sentidos.

Segundo Napoleon Hill, limitamos a dependência ao nosso conhecimento em relação ao mundo material, ou seja, a tudo aquilo que se pode ver, a tocar, pesar e medir.

Motivos podem ser vistos também como componentes do processo de autocontrole. Mas, porque do autocontrole?

Porque, é a própria pessoa que é o agente principal da sua mudança de conduta.

Devemos ter em mente de que é o autocontrole, a autorregulação que provoca o motivo.

Ele é geralmente provocado por fatores externos, como ser aprovado socialmente, ter status, estar bem de saúde, comprar um carro novo, um apartamento ou casa.

O motivo dá permissão para uma pessoa, a encontrar maneiras criativas e que sejam flexíveis, isto é, se adaptam a novas situações, de satisfazer suas próprias necessidades.

Contudo, vale a pena salientar de que o motivo faz farte das forças intangíveis e invisíveis do mundo. Precisamos aprender a controla-lo.

Não tem como controlar a força intangível contida nas ondas do mar, a força da gravidade que mantém a terra suspensa no ar e nos impede de cair, segundo Napoleon Hill.

O Motivo, o status, as forças intangíveis e invisíveis, o esforço da pessoa de corresponder às expectativas geradas pela autoimagem são intrínsecas e você tem obrigação de controla-lo e mantê-lo alimentado.

Um motivo bem trabalhado, principalmente de quando é pelos objetivos pessoais, auxiliam no processo de organização da sua vida.

Os valores individuais, os valores culturais, os papéis sociais aos quais você esta vivendo é que ajudam na representação cognitiva das experiências de vida ligadas à satisfação de necessidades.

Ter motivo não é simplesmente como ter um desejo.

Um desejo é uma vontade ardente, uma ideia fixa. Irei falar de desejo em outra matéria.

O Motivo é a razão, o fundamento, a causa, o objetivo, por exemplo, a compra de um carro novo.

O Motivo é a satisfação, a alegria, o estagio de felicidade de falta de necessidade, a plenitude, o momento, o encanto, o maravilhoso instante de “consegui”.

Para descobrir o seu motivo pergunte-se- “Eu vim ao mundo para fazer o que?”.

Se você ainda não sabe, concorde com um motivo que o inspire neste exato momento.

 

Regis Deiques

 

 

Anúncios